segunda-feira, 14 de julho de 2014

Berlim


Berlim





Como continuar a viajar em tempo de crise....



O vírus insta-se desde a primeira viagem, e nunca mais nos conseguimos livrar dele. Corroí-nos a alma, massacra-nos a mente, e o único antídoto  é: ir.... 
Ir em busca de novos lugares, de outras gentes, de novos sabores... ir em busca de nós próprios e da realização dos nossos sonhos!

Mas como continuar a "ir"?... 
Com a crise que todos os Portugueses atravessam, é cada vez mais difícil "ir"!
No entanto com algum tempo e paciência, por vezes conseguimos "enganar" a crise... e "ir"!

Esta viagem realizou-se entre 24 e 31 de Dezembro de 2013, no final do post ficam as dicas, para já, vamos viajar até....

Berlim

Berlim é uma das mais recentes capitais europeias. A primeira referência escrita à aldeia piscatória de colln surgiu em 1237. Juntamente com a povoação de Berlim na margem oposta do rio Spree, Colln viria  a converter-se na primeira cidade comercial bem sucedida sob o governo dos margraves de Brandeburgo, então capital da Prússia, e finalmente capital da Alemanha. Depois da II Guerra Mundial e do armistício de 1949, Berlim tornou-se a arena central da Guerra Fria. Em 1991, derrubado o muro de Berlim, a cidade passou a capital da da recém unida República Federal Alemã.




Brandenburger Tor

(Porta de  Brandeburgo)

 

Pariser Platz
S-Bahn: Unter den Liden
Autocarro : 100, 200



A porta de Brandeburgo é o ex-libris da cidade, esta magnifica estrutura neoclássica é da autoria de Carl Gotthard Langhans, com base na entrada da Acrópole de Atenas, e foi terminada em 1795.
Dois pavilhões, outrora usados por guardas e funcionários alfandegários emolduram a sua coluna dórica. Os baixos  relevos representam cenas da mitologia grega e toda a estrutura é coroada pela escultura da Quadriga, criada por Johann Gottfried Schadow.
A Quadriga foi inicialmente considerada um símbolo de paz. Desmontada em 1806 durante a ocupação francesa, foi levada para Paris por ordem de Napoleão. Após a sua devolução em 1814 passou a ser um simbolo da vitória e a deusa recebeu o bastão levado pela águia prussiana e a cruz de ferro com a coroa de louros.
A Porta  de Brandeburgo assistiu a muitos e importantes acontecimentos da história de Berlim, desde cortejos militares às celebrações do nascimento do terceiro Reich e à ascensão de Hitler ao poder. 
A porta, localizada em Berlim Leste, foi restaurada entre 1956 e 1958 e a Quadriga reconstruída em Berlim Ocidental. Até 1989 dominou a cidade dividida.


















Reichstag


Platz der Republik
S-Bahn: Unter den Liden
Autocarro: 100, 248

Construído para albergar o Parlamento Alemão, o  Reichstag destinava-se a simbolizar a unidade nacional e a divulgar as aspirações do novo império Germânico constituído em  1871. O projecto neo-renascentista de Paul Wallot captou o espírito predominante do otimismo germanico. Construído entre 1884 e 1894, foi financiado com dinheiro pago pela França como reparação de guerra.
Em 23 de Dezembro de 1916 acrescentou-se à fachada a inscrição "Dem Deutschen Volke" (Ao povo Alemão). 
O Reichstag tornou-se um poderoso símbolo do povo.
Philipp Scheidemann declarou neste edifício a implantação da republica de Weimar em 1918.
Em 1933 um incêndio destruiu parte do edifício, sendo reconstruido entre 1957 e 1972.
A ultima reconstrução ocorreu entre  1995 e 1999 sob o plano de Sir Norman Foster, que converteu o Reichstag num edificio moderno, encimado por uma cúpula elíptica e uma galeria. A primeira sessão parlamentar após a reconstrução realizou-se a 19 de Abril de 1999.












... vale a pena parar e ouvir!



Memorial em homenagem aos 

ciganos vítimas do Holocausto

 

Platz der Republik
S-Bahn: Unter den Liden
Autocarro: 100, 248



O memorial conta de um lago circular com um pequeno pedestal em forma triangular no meio, e com alguns dos nomes dos 500 mil ciganos que foram mortos durante a Segunda Guerra Mundial, gravados nas pedras circundantes, está localizado no parque Tiergarten, perto do Reichstag, o parlamento alemão.











Holocaust Denkmal

Memorial ao Holocausto


Ebertstrasse
S-Bahn: Unter den Liden
Autocarro : 100, 200


Em 2003, iniciou-se a construção de um memorial junto à Porta  de Brandeburgo, em honra dos Judeus mortos pelos Nazis entre 1933 e 1945. Foi criado pelo arquitecto americano Peter Eiseenmann e cobre uma área de 19 000 m2. À superfície existe um pavimento com lajes onduladas em betão onde os visitantes podem caminhar, por baixo situa-se um centro informativo sobre o genocídio.















Nota: A Porta de Brandeburgo, o  Parlamento Alemão, o Memorial aos ciganos e o Memorial ao Holocausto, ficam muito próximos. Junto à Porta de Brandeburgo existem placas informativas das distancias e direcções que devemos tomar. A estação do S-Bahn situa-se junto à Porta de Brandeburgo. Nós visitámos todos estes monumentos a pé.







Schloss Charlottenburg


Luisenplatz
U-Bahn: Richard Wagner Platz
S-Bahn:  Westend
Autocarro : 109, 145, 210


O palácio de  Charlottenburg foi concebido como residência de Verão de Sophie Charlotte, esposa do eleitor Fredrich III. A construção iniciou-se em 1695 segundo projecto de Johann Arnold Nering. Entre 1701 e 1713, Johann Friedrich Eosander ampliou o palácio, coroando-o com uma cúpula w acrescentando-lhe a ala da orangerie, Frederico o Grande (Friedrich II) introdoziu-lhe a Neuer Flugel, concebida por Georg Wenzeslaus Von Knobelsdorff, entre 1740 e 1746. Restituída à primitiva elegância depois da guerra, a série de interiores ricamente decorados é ímpar em toda a cidade de Berlim.






Fachada

A secção central do palácio é a parte mais antiga do edifício e foi projectada por Johann Arnold Nering.







Cúpula

A alta cúpula barroca completa a perspectiva de Schlosstrasse.







Através do áudio-guia, ficamos a saber a história de Charlottenburg, bem como todas as informações referentes às suas salas e todo o seu espólio. 
















Quando o Palácio encerra ao público, podemos assistir a um espectáculo de luzes na fachada principal. Vibrando ao som de musica clássica, as luzes de várias cores transformam Charlottenburg num lugar mágico!














Mercados de Natal

 

A Alemanha ganha uma magia especial durante a época do Natal. Todos os anos, nas semanas que antecedem o 25 de Dezembro, mais de 2500 mercados de Natal espalham--se pelas várias regiões do país, assinalando o início do Advento.

Esta Tradição secular, remonta aos tempos medievais em que existiam mercados regulares, sendo os de Natal especialmente bem-vindos, pois eram momentos de alegria para viajantes cansados e davam um pouco de luz às longas e frias noites de Inverno. Apesar da crença de que o Natal só recentemente se tornou uma festa do consumo, a verdade é que, já no século XVII, a compra de presentes nas feiras era uma actividade frequente. Aliás, estes mercados realizavam-se na praça da igreja principal, precisamente para atrair os crentes – e eram tão sedutores que há registos de um padre de Nuremberga reclamar, em 1616, não ter realizado a missa da tarde na véspera da consoada porque ninguém estava presente...

 

Tal como no resto da Alemanha,  Berlim também tem longa tradição em mercados de Natal. Durante o século 16, os comerciantes já vendiam bolos de mel e confeitarias feitas de “massa de xarope” por apenas alguns centavos na Petriplatz. 
Nesta época, os visitantes de Berlim podem escolher entre cerca de 60 mercados de Natal, alguns dos quais são compostos de algumas bancas festivamente iluminadas em volta de uma praça  mas outros  são tão grandes que mesmo uma tarde inteira é insuficiente para descobrir tudo.


Mercado de Natal de Charlottenburg

Luisenplatz
U-Bahn: Richard Wagner Platz
S-Bahn:  Westend
Autocarro : 109, 145, 210




O mercado de Natal de Charlottenburg é magnifico para o palato! Os dias em Dezembro na Alemanha são muito curtos, quando saímos do palácio já era noite cerrada. Assim que passámos os portões de Charlottenburg fomos transportados para um mundo de cheiros e sabores tradicionais a que não podemos resistir...
 

















Glühwein é vinho quente  doce com especiarias, é típico nesta altura do ano e é delicioso!















Claro que  quase  todas as "barraquinhas" do mercado vendem salsichas...

































Grande parte dos  edifícios de lojas e serviços, são decorados para a festividade!







Checkpoint Charlie

Friedrichstrasse
U-Bahn - Kochstrasse
Autocarro- 129

Checkpoint Charlie foi o nome dado pelos Aliados a um posto militar entre a Alemanha Ocidental e a Alemanha Oriental durante a Guerra Fria. Havia dois outros postos militares localizados na direção ocidental da auto-estrada (Autobahn) onde se localizava o Checkpoint Charlie: o Checkpoint Alpha, em Helmstedt, e o Checkpoint Bravo em Dreilinden, no sudoeste de Wannsee, cada nome indicando uma letra do alfabeto (Alpha a letra A, Bravo a letra B e Charlie a letra C) de acordo com o alfabeto fonético utilizado pelos aviadores.

Entre 1961 e 1990 o Checkpoint Charlie era o único ponto de passagem para estrangeiros entre Berlim Ocidental e Berlim Leste.

Em 1990, o posto de controlo foi encerrado durante uma cerimonia oficial.

Hoje, já não há portas, barreiras nem arame farpado, mas apenas uma réplica de uma cabine de controlo e alguns sacos de areia. Os militares não passam de figurantes que cobram  dinheiro para tirarem  fotos  com os turistas. De todos os modos ficamos com uma ideia da história do local.

A seguir à barreira, do lado esquerdo podemos visitar o museu Haus am  Checkpoint Charlie. A coleção deste museu conta os pormenores dos conflitos fronteiriços da Guerra fria e a construção do Muro de Berlim.



















Duas fotografias, uma de um soldado americano, outra de um soldado russo, da autoria do fotografo berlinense Frank Thiel, assinalam a comemoração da saída dos aliados da cidade!








A placa que assinalava a  entrada e saída do Sector americano ( fotos dos dois lados da placa)













Vendedores de rua  vendem artigos ligados à guerra...








Muro de Berlim



Na madrugada de 13 de Agosto de 1961, foi construído o Muro de Berlim, um muro de cimento com 1,5m de altura e  cerca de 150 km de comprimento, 302 torres de observação, 127 redes metálicas electrificadas com alarme e 255 pistas de corrida para cães de guarda. Berlim ficou dividida ao meio, como mostra a imagem de satélite da NASA ( a linha amarela localiza o muro de Berlim).



Imagem de satélite de Berlim, com a localização do Muro em amarelo.




Durante cerca de três décadas, o muro, foi a dolorosa marca de uma cidade mutilada, de um país dilacerado, de uma Europa e de um mundo divididos.


Na noite de 9 de Novembro de 1989,  um pouco depois das 23 horas, a porta de Brandeburgo no Muro de Berlim foi aberta... foi o início do fim!
Milhares de pessoas atravessaram o muro, outros arrancaram-lhe pedaços e com martelos provocaram a sua queda. Foi um dia em que a palavra chave era "Liberdade".
Acompanhei a noticia pela televisão, era quase impossível imaginar uma cidade dividida ao meio por um muro de betão! Lembro-me perfeitamente da cara de felicidade de quem atravessava  o muro da vergonha, e da alegria de poderem finalmente reencontrar familiares e amigos!

Com a  queda do muro, da-se a  reunificação da Alemanha.





(Um pedaço do muro junto ao Haus am  Checkpoint Charlie.)





Junto ao Checkpoint Charlie, podemos visitar uma exposição de vários artistas plásticos que pintaram fragmentos do muro de Berlim!

Ao longo da cidade podemos observar diversos fragmentos do muro  que funcionam como  marcos históricos, para que a humanidade não esqueça...




















A linha por onde passava o muro de Berlim, está marcada no asfalto da cidade, como cicatrizes...









Topographie Des Terrors

Stresenannstrasse 110
U-Bahn - Postdamer Platz
S-Bahn - Postdamer Platz
Autocarro- 129, 248, 341





Durante o terceiro Reich, a Prinz-Albrecht-Strasse era provavelmente o endereço mais aterrador de Berlim. Em 1934 três dos mais aterradores departamentos politicos Nazis instalaram-se num bloco entre Wilhelm-Stresemann, Anhalter e a Prinz-Albrecht-Strasse.
O Palácio neoclássico Prinz-Albrecht, situado no nº 102 da   Wilhelm-Stresemann, tornou-se o quartel general de Reinhard Heydrich e do Serviço de segurança do Terceiro Reich.
Após a II Guerra Mundial os edificios foram demolidos, porém em 1987, nalgumas caves remanescentes, montou-se uma exposição documental dos crimes nazis.   









A exposição é dividida em duas partes, uma interna e outra externa, junto às ruínas do Muro de Berlim.
Na parte externa, podemos ver fotos e ilustrações que relatam as atrocidades cometidas pelo regime Nazista, da ascensão à queda. Parte da  exposição fica abaixo do nível da rua, onde existem as antigas  celas do quartel-general da Gestapo. De 1933 a 1945, cerca de 15 mil presos políticos foram interrogados e brutalmente torturados nestas prisões.
No interior do  edifício, existe uma exposição mais pormenorizada que nos relata  os horrores do nazismo. Através de fotos e documentos expostos, temos contacto com a realidade  que foi a  perseguição não só dos judeus mas  também a homossexuais, ciganos e deficientes mentais, além de todos os que se opunham ao regime Nazista!




(exposição exterior)



(exposição exterior)



(Celas da prisão da Gestapo que os nazistas utilizavam para prender e torturar prisioneiros políticos)





Existe uma parte conservada do Muro de Berlim que atravessa os terrenos da Topographie Des Terrors.






















As exposições, quer a exterior quer a que está patente no interior do  edifício da Topographie Des Terrors têm entrada gratuita!






Algumas das fotos que estão expostas na Topographie Des Terrors...

















As cicatrizes do Muro de Berlim que partem da Topographie Des Terrors e se prolongam por toda a cidade... 








Martin-Gropius-Bau


Stresenannstrasse 110
U-Bahn - Postdamer Platz
S-Bahn - Postdamer Platz
Autocarro- 129, 248, 341





 O edifício foi construído entre 1877 e e 1881 pelos arquitectos Martin Gropius e Heino Schmeien no estil neo-renascentista. Ficou severamente danificado durante a Segunda  Guerra Mundial, depois da sua restauração, reabriu  ao publico em 1981.
Entre as janelas vêem-se brasões das cidades alemãs e nos frisos há relevos a ilustrar diversas artes e ofícios.  Nas placas entre as janelas do andar superior há musaicos com figuras alegóricas que representam culturas de diferentes épocas.
Actualmente alberga exposições temporárias de arte, fotografia e arquitectura.










Nota: Do  Checkpoint Charlie até à Topographie Des Terrors, são cerca de 800 metros. Siga a rua  Friedrichstrasse (Checkpoint Charlie)  até ao cruzamento, irá encontrar  o museu Haus am  Checkpoint Charlie do lado esquerdo, vire no cruzamento à direita, encontra placas a sinalizarem a Topographie Des Terrors. São cerca de 10 minutos de caminhada!




Museum fur Naturkunde


Invalidenstrasse, 43
U-Bahn  U6 Naturkundemuseum
S-Bahn   Hauptbahnhof, Nordbanhof
Autocarro- 120, 123, 142, 147, 245, 247






O Museum fur Naturkunde, é um dos maiores museus de história natural do mundo, com mais de 60 milhões de peças. Está instalado num edificio neo-renascentista construído de propósito e funciona à mais de um século. Apesar de já ter sofrido várias obras de restauro e conservação, nunca perdeu o o seu ambiente antigo. 







A principal atração do Museum fur Naturkunde, é o maior esqueleto de dinossauro do mundo, que está exposto no pátio envidrassado. Este colossal branquiossauro de 23 m de comprimento e 12 metros de altura foi descoberto em na Tanzânia em 1909 por uma expedição Alemã. 
A completar esta fascinante exposição há seis outros esqueletos de dinosauros mais pequenos e uma replica de restos fossilizados de um arqueoptérix, que se julga ser o elo pré-histórico de ligação entre repteis e aves.
As salas adjacentes têm várias colecções desde conchas e fosseis, até animais embalsamados, rochas e meteoritos, colecções "húmidas"etc...










(Uma replica da cabeça do branquiossauro)


















































Ao longo de várias salas do museu podemos ver milhares de  animais embalsamados.
































Vários espaços no museu, convidam os mais novos a descobrirem os segredos da vida animal...






























Na sala de multimédia podemos aproveitar para descansar, enquanto assistimos a um documentário sobre a terra e o meio ambiente!







"colecções húmidas"



Em Setembro de 2010, e depois de 3 anos de reconstrução da ala Este do museu, foi inaugurado um dos edifícios mais modernos do mundo para albergar as "colecções húmidas".  Aqui estão expostos cerca de um milhão de animais que  são conservados em 276 000 recipientes de vidro que contêm um total de 80 toneladas de álcool, seguindo as mais modernas normas de segurança.






















Fora do centro...




Como se costuma dizer em modo de ditado popular.... "Ir a Berlim e não visitar Potsdam é como ir a Roma e não ver o papa"! ;)  A principal atracão desta bela cidade que fica próxima de Berlim é o  Park Sanssouci!




Como chegar:

O S-Bahn 7 liga Berlim a Potsdam. Da estação de Potsdam, o autocarro 606 vai até ao Neues Palais e os electricos 94, 96 e X-98 vão até ao centro da cidade. O Autocarro 695 circula entre o Park Sanssouci e o Neuer Garden.
 






Potsdam




Postdam é uma cidade independente que fica na periferia de Berlim, sendo também a capital do estado de Brandeburgo. A cidade sofreu severos danos na II Guerra Mundial, sobretudo nas noites de 14 e 15 de Abril de 1945 quando os aliados bombardearam o centro da cidade. Hoje, apesar dos danos da guerra, Potsdam é uma das mais interessantes cidades da Alemanha. Milhares de turistas visitam o parque  real de Sanssouci...





Park Sanssouci


O enorme Park Sanssouci ocupa uma área de 287 hectares e é um dos mais belos complexos palacianos da Europa. O primeiro edifício  ali construído foi o Schloss Sanssouci, o palácio de Verão de Frederico, no Grande. Foi edificado no local de um pomar entre 1745 e 1747. Com os anos o parque expandiu-se bastante e foi enriquecido com a construção de outros palácios e pavilhões. Reserve pelo menos um dia para desfrutar do parque em pleno.







Neues Palais



Este imponente palácio barroco na avenida principal do Park Sanssouci foi construído para Frederico II em 1750, o Grande. O projecto inicial ficou a cargo de Georg Wenzeslaus von Knobelsdor mas a sua construção só teve inicio em 1763 após a Guerra dos sete anos. Sob o novo projecto  de Johann Gottfried Buring, Jean Laurent Le Geay e Carl von Gontard. O resultado foi um enorme edifício de dois andares decorado com centenas de esculturas e mais de 200 salas ricamente decoradas que no seu todo formam um dos mais belos palácios da Alemanha.

















Communs



Esta área do parque é composta por um par de pavilhões de dois andares ligados por uma coluna semicircular. São edifícios elegantes, considerando que se destinavam a alojar os criados e as cozinhas do palácio. Mas também serviam para ocultarem os campos que se estendiam para além do palácio.
Os Communs, projectados por jean Laurent le Geay, foram construidos entre 1766 e 1769 por Carl Vonn Gontard. O estilo dos edificios, reflete-se num elegante pátio que os une. No pavilhão sul, ligado ao palácio por uma passagem subterranea, encontra-se a cozinha, e no pavilhão norte instalavam-se os criados dos convidados do rei. Hoje encontram-se aqui os gabinetes dos reitores da Universidade de Potsdam.










































Schloss Sanssouci


Zur Historischen Muhle
Autocarro: 612, 614, 650, 695
Electrico: 94, 96, X-98


O nome Sanssouci significa em francês "sem cuidados" e resume o caracter exuberante deste palácio rococó construido em 1745.
O rei adorava este palácio e o seu ultimo desejo era ser aqui sepultado perto do túmulo dos seus galgos italianos. Na realidade foi sepultado na Garnisonkirche de potsdam, mas os seus ultimos desejos foram satisfeitos em 1991.



Caramachão

O projecto do palácio foi complementado por belissimos camarachões e pérgulas decorados com motivos solares.
















Figuras de bacanais

As figuras masculinas e femininas de bacantes nas pilastras são da autoria de friedrich Christian Glume.






O telhado com cúpula

A cúpula verde oxidada que coroa a Marmorsaal está decorada com esculturas barrocas.







Em 1990,  Sanssouci com seus palácios e jardins foram classificados como Património Mundial da UNESCO.






As vinhas

O rei mandou plantar videiras vindas de Portugal, Itália e França em frente do palácio. As vinhas estão plantadas em terraços, protegidas por vidraças que eram fechadas no Inverno para as videiras não morrerem. A forma como as videiras foram plantadas é magnifica, pois quando estamos à entrada do palácio e olhamos em frente, vimos relva e estátuas que conduzem ao lago pela escadaria de pedra. Quando descemos a escadaria e olhamos para cima para o palácio, a vista é surpreendente, com as videiras e as vidraças a darem um ar completamente diferente à paisagem...















As estátuas de Sanssouci

Quem chega aos jardins de  Sanssouci no Inverno encontra as estátuas protegidas por casinhas de madeira pintadas de branco. 

As árvores e as videiras praticamente sem folhas, as cores mortas da paisagem e as estátuas enclausuradas em gaiolas de madeira, deixam-nos um pouco decepcionados... Decerto que a época ideal para visitar Sanssouci é a Primavera...













Moinho antigo em estilo Holandês














Schloss Cecilienhof


Este palácio teve um papel  breve mas importante na história, foi aqui que se realizou em 1945 a conferencia de Potsdam.
Trata-se do edifício mais recente construido para a dinastia Hohenzollern, datado de 1914-17. Foi projectado por Paul Schultze-Naumburg ao estilo de uma vivenda campestre Inglesa.  É um edificio assimétrico com traves de madeira a pautar as paredes. As entradas que conduzem aos pátios têm relevos barrocos.
Depois de perder a coroa a família Hohenzollern residiu aqui e permaneceu em Postsdam até Fevereiro de1945. 
Agora o palácio é um hotel e um restaurante de alta categoria!


















































As portas da cidade de Potsdam


A cidade de Potsdam foi cercada com muralhas em 1722, não para defesa, mas para aprisionar os criminosos e impedir a deserção dos soldados. Quando se alargaram os limites da cidade em 1733, incluiram-se novas zonas dentro das muralhas. Eram cinco as portas da cidade, três ainda se conservam.


Nauener Tor

Foi redesenhada em 1755 por Johann Gottfried Buring e é um dos primeiros exemplos do Neogótico fora da Grã-Bretanha.









Peter und Paul Kirche

Bassinplatz
Autocarro: 618, 750, 780
Eléctrico:  90, 92, 93, 96, X-91, X-98



Esta igreja do século XIX foi a primeira grande igreja católica construida em Potsdam por iniciativa de Friedrich Wilhelm IV. Os primeiros planos deveram-se a  Friedrich August Stuler, embora a versão final seja de Wilhelm Salzenberg.
Foi construida em 1870 em forma de cruz neo-romântica e a torre é uma cópia do campanile de San Zeno Maggiore de Verona, em Itália.






Mercado de Natal de Potsdam 











































Zoologischer Garten


Hardenbergplatz 8
ou
Budapester Strasse 34
U-Bahn: Zoologischer Garten

Autocarro : 100, 109, 110, 145, 146, 149, 200,
                     204, 245, 249, X-10, X-34



O Jardim Zoológico é uma das maiores atracções de Berlim. Faz parte do Tiergarten e data de 1844, sendo por isso um dos mais antigos da Alemanha.
Pode entrar-se no Zoo pela Hardenbergplatz pela porta dos leões e pela Budapester Strasse, através da porta do elefante.

O Jardim Zoológico oferece inúmeros atractivos, como  a casa dos macacos, e um pavilhão escuro onde habitam noctívagos. O tanque dos hipopótamos tem um vidro através do qual se pode observar os animais debaixo de água. 
























































































Kaiser-Wilhelm-Gedachtnis-Kirche


A " Igreja da memória", como é conhecida, é uma das mais famosas atracções turísticas de Berlim e está rodeada por uma multidão de vendedores ambulantes, músicos  e mendigos. Foi projectada por Franz Schwecten em estilo Neo-romântico e consagrada em 1895, mas os bombardeamentos destruíram-na em 1943. Depois da guerra, as ruinas foram removidas, tendo ficado apenas  a maciça torre da fachada em cuja base se situa o Gedenkhalle (Salão Memorial) que documenta a história da igreja e contém mosaicos originais do tecto, relevos de mármore e objectos de culto. Em 1961, Egon Eiermann desenhou uma nova igreja octogonal em vidro azul, com uma nova torre sineira separada!






Mercado de Natal junto a Kaiser-Wilhelm-Gedachtnis-Kirche
























































A Ilha dos Museus




A extensa ilha situada  nos afluentes do rio Spree é o berço da história  de Berlim. Foi aqui que surgiram as primeiras construções no começo do século XIII. Colln figura  em documentos datados de 1237 e a sua povoação gémea  (Berlim) é mensionada poucos anos depois, em 1244. Da Colln Gótica e renascentista não restam hoje vestigios, pois a ilha transformou-se com a construção do palácio dos eleitores de Brandeburgo, que nele residiram a partir de 1470.


Como chegar:


A maneira mais fácil de chegar à ilha dos Museus e à  Schlossplatz  é seguir  a pé da estação de S-Bahn de Hackescher Markt ou tomar um autocarro: 100, 157, ou 348. A zona de Breite Strasse é servida pelos autocarros: 147 e 257 enquanto para o sul da ilha se pode usar a linha 2 do U-bahn para  Spittelmarkt e os autocarros 142 e 147 em direcção à Markisches Ufer.







Na Ilha dos Museus podemos visitar o Bodemuseum, a Alte Nationalgalerie, o Neues Museum o Altes Museum a Berliner Dom e o Pergamonmuseum.

Existem bilhetes combinados que podem ser adquiridos na bilheteira junto à Alte Nationalgalerie.





Bilheteira da Ilha dos Museus







Alte Nationalgalerie


Galeria Nacional de Arte Antiga

O edifício foi construído em  1866 e 1876, projectado por Friedrich Wilhelm IV. Situa-se numa plantaforma acessivel por uma escadaria dupla. Em cima ergue-se uma estátua equestre de Friedrich Wilhelm IV, obra de Alexander Calandrelli em 1886.
A fachada do edificio é antecedida por uma bela colunata, que no no alto se converte numa fila de meias colunas.
As decorações condizem com a finalidade do edificio, o timpano representa a Germânia como protectora de arte, enquanto o topo está coroado pela personificação das artes.
O Museu destinava-se a exibir a colecção de arte moderna que estava exposta desde 1861 na Akademie der Kunste. Depois da II Guerra Mundial a colecção dispersou-se. Depois da reunificação da Alemanha, as colecções de arte moderna foram reunidas novamente.































Neues Museum 


O Neues Museum foi construido na Ilha dos Museus para complementar o Altes Museum, já sobrecarregado. O edifício ergueu-se  entre 1841 e 1855 segundo o projecto de Fredrich August Stuler. Depois de ter ficado muito danificado na II Guerra Mundial, e de sofrer demorados restauros, alberga hoje em dia uma colecção egípcia.















Pergamonmuseum

Inaugurado em 1930, o Pergamonmuseum é o mais novo museu do complexo da Ilha dos Museus e uma das maiores atracções de Berlim.
O edifício foi um dos primeiros da Europa concebidos propositadamente para exibir grandes peças arquitectónicas. A riqueza das suas colecções provém de grandes escavações efectuadas por arqueólogos alemães no inicio do sec XX.


Prepare-se para muitas horas de fila quando for visitar o   Pergamonmuseum. A entrada faz-se por uma pequena porta lateral no edifício, com  controle de entradas ( só deixam entrar um numero restrito de pessoas de cada vez).



O Pergamonmuseum foi um projecto de Alfred Mussels e Ludwig Hoffmann. Possui uma das mais famosas colecções europeias de antiguidade e deve o seu nome ao maravilhoso Altar de Pérgamo. Conta com um museu de antiguidades Gregas e Romanas, um museu de antiguidades do Próximo Oriente e um museu de Arte Islâmica.

Na entrada do museu, é fornecido um adio-guia.


Porta de Ishtar da Babilónia
(Século VI a.C.)



Dedicado à deusa babilônica Ishtar, o portal foi construído em fileiras de azulejos azuis brilhantes mesclados com faixas de baixo-relevo ilustrando sirrushs (dragões) e auroques.
O teto e as portas foram feitos em cedro, de acordo com a placa dedicatória. Através do portal corria o caminho procissional lineado por paredes cobertas por leões em tijolos envidraçados (aproximadamente 120 deles).
Estátuas de divindades eram conduzidas através do portal durante as procissões uma vez por ano durante a celebração do Ano Novo.
Originalmente o portal foi considerado uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo, sendo substituído pelo Farol de Alexandria algumas centenas de anos mais tarde.



 











Porta do Mercado de Mileto
(c. 120 d.C.)

Uma porta com mais de 16 metros de altura que dava para o mercado meridional de Mileto, uma cidade romana da Ásia Menor.
































Altar de Pérgamo
 (170 a.C.)


O Altar de Pérgamo é uma magnífica estrutura dedicada a Zeus, originalmente construída no século II a.C. na cidade grega de Pérgamo (atual Bergama, na Turquia).
A construção, que sofrera muito com o tempo e estava destruída, foi escavada, no final do século XIX, em seu sítio original, e suas partes enviadas para a Alemanha por uma expedição arqueológica liderada por Carl Humann.















































Uma nova ala do Museu, convida-nos a explorar o Museu de Antiguidades, o Museu de Arte Islâmica e a colecção de Antiguidades...

























































Palácio Assírio

Algumas partes deste belo interior construído de um palácio do  antigo reino da Assíria datam do séculu XII a.C.




























Parede de tijolos vidrados do Palácio de Dário I de Susa, capital do Império Persa!


























Aleppo Zimmer
( c. 1603)

Esta magnifica sala com painéis em madeira provém da casa de um mercador da cidade síria de Aleppo.






Fachada do Palácio de Mshatta

(744 d.C.)



Este fragmento provém da fachada meridional do Palácio de Mshatta da Jordânia e foi oferecido a Wilhelm II pelo sultão otomano Abdul Hamid em 1903.















































O mihrab vidrado de uma mesquita (1226) de Kashan, no Irão.











Fernsehturm

A torre da televisão, que os habitantes locais chamam de  Telespargel, ou palito, continua a ser a estrutura mais alta da cidade (365 m) e uma das mais elevadas da Europa. A torre foi construida em 1969.

Panoramastrasse
U-Bahn: Alexander-Platz
S-Bahn: Alexander-Platz
Autocarro: 100, 157, 200, 348











A bilheteira e a entrada ficam na base da torre. Quando compramos o bilhete, é-nos atribuída uma hora de visita. Se a afluência for grande, podemos tirar o bilhete às 9:00 Horas e a hora de visita ser às 15:00 Horas (por exemplo), por isso no dia que pretender visitar a torre, compre os bilhetes logo cedo!





Os elevadores levam-nos da base até à esfera em pouquíssimos segundos!




Numa das janelas panorâmicas da esfera, na direcção de Portugal encontra-se uma placa com a  distancia que separa a Torre da Cidade de Lisboa!





A vista da plataforma panorâmica...





A Alexander-platz e o seu mercado de Natal...











O nosso hotel à direita...
















A plataforma panorâmica, é situada dentro de uma esfera gigante de aço, ficando 203 metros acima do solo!




Marienkirche

Karl-Liebknecht-Str 8
U-Bahn: Alexander-Platz
S-Bahn: Alexander-Platz
Autocarro: 100, 143, 148, 200, 348 



A Marienkirche ou Igreja de Santa Maria, foi fundada como igreja paroquial na segunda metade do séc. XIII. A construção começou por volta de 1280 e ficou pronta no inicio do Séc. XIV.











Altar Mor

O altar barroco foi concebido por Andreas Kruger e data de 1762. As pinturas incluindo a descida da cruz, ao centro, Cristo no monte dos olivais e a Incredulidade de São Tomé, dos lados, são da autoria de Christian Bernhard Rode.

























Crucificação
(1562)

Esta imagem de Cristo, ladeado por moisés e São João Batista foi pintada por Michael Ribestein em estilo Maneirista.




















Presépio em madeira










A pia Baptismal

Esta pia gótica de 1437 apoia-se em três dragões pretos e está decorada com figuras de Cristo, Maria e os Apóstolos.











Berliner Dom

Am Lustgarten
S-Bahn: Hackescher Markt
Autocarro: 100, 200, 348



A Berliner Dom original era baseada num modesto design barroco de Johann Boumann. Construida entre 1747 e 1750 no local de uma antiga igreja dominicana.
A actual estrutura neobarroca é da autoria de Julius Raschdorff e data de 1894-1905. A cúpula central em cobre tem 98 m de altura. 




































































Vista da cúpula.
... a foto foi  tiradas pelo meu filhote!









Potsdamer Platz


Para sentir a vibrante energia da nova Berlim, não há nada melhor do que visitar a Potsdamer Platz. Durante os loucos anos 20 era a praça mais movimentada e animada da Europa, mas durante a II Guerra Mundial foi bombardeada e transformada num monte de escombros. Depois da Guerra a praça ficou um espaço aberto, terra de ninguém perto do muro de Berlim. Com a reunificação a praça foi redescoberta como local de interesse económico, por exemplo pela DaimlerChrysler e pela Sony, e tornou-se no maior centro de construção de Berlim.


Mercado de natal na  Potsdamer Platz






Alexanderplatz

A  Alexanderplatz, ou "Alex" como é denominada pelos Berlinenses, tem uma longa história, embora se torne agora difícil encontrar-lhe traços do passado. Outrora chamada de Ochsenmarkt (mercado dos bois), por se realizar ali um mercado de gado e lã, mais tarde tomou o nome do Czar Alexander I, que visitou Berlim em 1805. Com centros comerciais, restaurantes e uma das principais estações de comboio, a praça é uma das mais movimentadas da cidade!














Dicas:



Berlim é uma cidade colossal, a sugestão é que leve um roteiro pré definido, para que possa aproveitar ao máximo. O nosso roteiro foi de 6 dias

*Transportes e Hotel


É muito importante  programar a viajem com pelo menos 6 meses de antecedência, é a garantia de poder conseguir preços baixos. 
O bilhete de avião foi comprado em Junho para viajarmos em Dezembro. A companhia aérea escolhida foi a  easyjet. O bilhete ida-volta ficou por cerca de 80.00 € por pessoa.

O hotel escolhido foi o  ibis Berlin Mitte - 40.00 € quarto duplo
Prenzlauer Allee 4
10405 BERLIN

 Como chegar ao Hotel...


A primeira coisa a fazer assim que chegar ao aeroporto de Schönefeld  é comprar o cartão Berlin WelcomeCard :


Validade Berlim Berlim+Potsdam
48 horas € 18,50 € 20,50
72 horas € 25,50 € 27,50
+Ilha dos museus (72 horas) € 38,50 € 40,50
5 dias € 32,50 € 37,50
(valores de 2013)
Para a viagem que efectuámos, comprámos o "5 dias Berlim+Potsdam"  Porque queríamos visitar Potsdam.


Compensa cada cêntimo! Este cartão dá acesso aos transportes públicos e dá descontos em praticamente todos os museus e atracções, restaurantes, lojas, etc...etc...
No final fizemos as contas e o valor dos descontos foi superior ao valor do cartão, o que quer dizer que utilizamos os transportes públicos de graça.

Compre o cartão no posto de turismo do aeroporto, fica na saída do lado esquerdo. O cartão dá acesso ao comboio até Berlim.
Na saída do aeroporto, siga pelo lado esquerdo (tem placa de sinalização) em direcção à estação do comboio, a caminhada dura  cerca de 5 minutos.
Tenha em atenção que tem de obliterar o cartão na máquina de obliterar os bilhetes na estação. (As multas são pesadas e os fiscais não vão na história de turista não saber).
Não é necessário voltar a obliterar o cartão, a partir dessa hora começa a contar o tempo de validade do cartão. Mas traga-o sempre consigo!
O comboio expresso regional 7 ou o comboio regional 14 leva-nos até  à Alexanderplatz em 30 minutos.

Quando chegar à estação do comboio da  Alexanderplatz, saia pela porta principal, e apanhe o electrico M2 (paragem em frente da estação) que o deixa a cerca de 20 metros do Hotel.
Ou pode ir a pé... Atravessa a Alexanderplatz, vira à esquerda até à Prenzlauer Allee, vira à direita e segue sempre em frente. São cerca de 10 minutos a andar!
Todos os transportes públicos estão incluídos no Berlin WelcomeCard.


*Comboio

Embora Berlim seja servida por duas redes ferroviárias distintas, o U-Bahn e o S-Bahn, a diferença entre ambas é muito pequena e os passageiros podem utilizar os mesmos bilhetes nos dois tipos de transportes! Em rigor o U-Bahn equivale ao metro pois circula no subsolo, enquanto o S-Bahn é um serviço suburbano de longa distancia.
As estações do U-Bahn estão assinaladas com uma placa azul com um U branco, enquanto as estações do S-Bahn estão assinaladas com um circulo verde com um S branco.




A Estação Central de Berlim "Berlin Hauptbahnhof" é maior estação ferroviária de intersecção em múltiplos níveis da Europa.
Nesta gigantesca estação, os comboios circulam em vários níveis... é incrível esta obra da engenharia alemã, e merece uma visita!






*Potsdam

Em Potsdam,  optámos por adquirir um tour para visitarmos o   Park Sanssouci, na Kaiser-Tour Potsdam. O parque é muito grande, para se conseguir ver o essencial num dia é a opção ideal.

No posto de turismo da estação de comboios de Potsdam, adquirimos o bilhete para o tour. Tivemos  uma guia (em Inglês) que acompanhou todo o percurso e áudio-guias no Autocarro em Português.
O autocarro parte da porta lateral da estação do comboio e deixa-nos no mercado de Natal de Potsdam.  Para regressar à estação, apanhámos o eléctrico que está incluido no Berlin WelcomeCard. O bilhete de comboio de Berlim até Potsdam, também está incluído no cartão.

Como o Berlin WelcomeCard tinha a validade de 5 dias e nós tivemos 6 dias na cidade, optámos por deixar todos os monumentos perto do hotel para visitarmos no ultimo, assim  não necessitámos de transportes públicos e comprámos na estação de comboios da Alexanderplatz no dia anterior à nossa partida, um bilhete de comboio para o aeroporto!

*Onde comer

Berlim tem restaurantes para todas as bolsas, como qualquer outra cidade...
Mas a ideia, é mesmo comer bem por pouco dinheiro!
Para um lanche durante o dia,  em quase todo o lado encontra vendedores de cachorros quentes!




O mais barato em época de Natal, é comer nos mercados de Natal.
Um naco de carne no pão e uma cerveja ronda o 5.00 €. A única desvantagem é que tem de comer de pé, e depois de um dia a visitar a cidade, apetece uma refeição sentada!



Muito perto no nosso hotel, à saida da Alexanderplatz, encontra-se a  Hofbrau Muchen!
É uma cervejaria célebre em Munique da qual nós gostamos muito, e tem esta filial em Berlim. O preço das refeições é aceitável. O prato  mais típico é o pernil de porco assado, ou o frango assado, embora tenha uma ementa bastante variada.. A Hofbrau tem música ao vivo, e é bastante animada à noite.











Na Alexanderplatz encontra-se o Ristro Kaffeehaus. Almoçamos lá um dia, mas o preço é demasiado alto para a  qualidade. O Wiener schnitzel, tinha demasiada gordura, embora os escalopes com cogumelos estivessem bons!














Perto da Alexanderplatz fica o Restaurante  Escados na Karl-Liebknecht-Straße 29. Um restaurante com ambiente mais  seleccionado,  com comida de boa qualidade e preço mais elevado.











Do outro lado da rua do Restaurantes Escados, perto da Alexanderplatz, encontra-se o Ristorante Romantica Pizzeria. Com um ambiente bastante acolhedor, tem uns  empregados   magníficos sempre bem dispostos, muito atenciosos, e a comida é excelente. Servem muitos pratos à base de marisco a preços bastante acessíveis. O tempo de  espera na fila para se conseguir mesa  compensa! De facto é um local muito agradável para se jantar!














Para mais informações consulte:

http://www.visitberlin.de

Relacionado:

- O que visitar em Berlim?
- Locais interessantes em Berlim.
- Onde comer em Berlim.
- Restaurantes em Berlim.
- Onde ficar em Berlim.
- Guia de viajem a Berlim.
 

2 comentários:

  1. Eu ontem decidi que vou a Berlim em Agosto. Fui ver o avião e eram 200 e tal euros, então achei que poderia ir até Hamburgo que são 122€, ficar la 1 dia ou 2 e depois ir de comboio até Berlim, ficar mais 2 dias e regressa a Hamburgo para apanhar o avião.
    Que achas da idéia?

    ResponderEliminar
  2. Pode ser uma boa opção, assim ficas a conhecer duas cidades.

    ResponderEliminar

Printfriendly