terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Alentejo



Alentejo



O prazer ancestral de beber água pelo Cocho ( Cocharro ) de cortiça


O cocho ou cocharro (dependendo das zonas do Alentejo) é um objecto feito em cortiça que serve para beber água.
Antigamente era um objecto comum e podia ser encontrado em todas as casas Alentejanas. Não existia poço ou fonte que não tivesse um cocho para se beber água. No trabalho do campo, a água era transportada pela aguadeira/o em cântaros de barro e distribuída aos trabalhadores num cocho de cortiça.

Entre os populares existia a crença que todos podiam beber água pelo mesmo cocho que as doenças não se transmitiam.

Ao contrário do que parece, fazer um cocho não é tarefa fácil, exige muita sabedoria e alguma paciência. Antigamente era um trabalho efectuado por pastores e vaqueiros que guardavam os seus rebanhos e tinham muito tempo para se dedicarem a estas tarefas, esculpindo a cortiça com a mesma navalha que cortava o pão e a linguiça para o lanche.
A sabedoria começa na escolha da matéria prima, pois só é possível esculpir um cocho com uma parte da cortiça que tenha um nó. Depois as mãos hábeis dos artesãos dão-lhe a forma característica.






Foi em Santa Sofia, uma pequena aldeia Alentejana entre Évora e Montemor-o-Novo, que encontrei esta fonte ainda com o tradicional cocho de cortiça.
Quem por ali passar pode apaziguar a sede e descansar junto à fonte, desfrutando da calma e beleza do local.












Mas apesar dos tempos modernos e da existência de água canalizada, muitos Alentejanos recusam perder a sua identidade e as  tradições herdadas dos seus antepassados e continuam a ter os seus cochos de cortiça pendurados junto às torneiras das suas casas.






Cada vez é mais difícil encontrar cochos como antigamente, embora ainda vão aparecendo em feiras de artesanato, um pouco mais refinados, destinados mais à decoração do que propriamente à sua função inicial.






Beber água por um cocho é um prazer indescritível!

Que as memórias não se apaguem!
Que a tradição de um povo não se perca!

5 comentários:

  1. Eu posso dizer que não conheço nada do Alentejo. Fui muitas poucas vezes mas conhecer mesmo, zero. Mas quero investir nisso e conhecer. Tenho curiosidade em Porto Covo.

    Um aparte: Luísa, eu quando vou nas viagens, faço sempre o "Walking Free Tour" e o percurso do "Tour Bus" que são praticamente comuns a todas as cidades. Sabes se existem mais "actividades" turisticas porreiras para fazer? Ou mesmo alguma coisa à noite?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Referes-te ao Alentejo? A que cidades?

      Eliminar
    2. Não, no geral. Se calhar expliquei-me mal. Quando viajo, gosto de fazer essas duas coisas: andar no tour bus e fazer o walking free tours. Não tens actividades que faças sempre nos países? Podem haver coisas que eu desconheça e que hajam igual em todos os países.

      Eliminar
    3. Ok, já percebi!Basicamente também é o que utilizo. Sabes, talvez eu tenha uma forma estranha de viajar, mas não gosto de viagens organizadas, nem gosto de viajar em grupo. Para mim uma viagem é algo intimo, gosto de desfrutar dos locais que visito com calma, gosto de estar o tempo que me apetece sem ter de seguir guias ou ter horas marcadas para estar no autocarro x ou no museu Y.... se me apetece estar 15 minutos a olhar para um quadro no Louvre estou, não tenho de estar preocupada que o guia já está noutra galeria e vou perder o grupo... o Tour Bus é excelente em muitas cidades, noutras nem tanto... Estou-me a lembrar que no Verão o utilizei em Praga e foi uma experiência a não repetir por lá... Normalmente na Europa, compro o cartão turistico das cidades, que dá acesso aos transportes públicos e tem descontos em museus, etc... normalmente compensa cada cêntimo. A maioria das vezes feitas as contas fica quase grátis.

      Eliminar
    4. Eu viajo sempre sozinha e quando digo sozinha, é mesmo isso :)
      Eu gosto. Só não gosto depois do jantar que ando de bar em bar a distrair-me. De resto, tudo bem.

      Eliminar