terça-feira, 8 de outubro de 2013

Arco da Rua Augusta - Lisboa


Arco da Rua Augusta

Lisboa





No dia 9 de Agosto  o Arco da Rua Augusta, abriu ao público, reabilitado e com acesso a um magnifico miradouro que proporciona aos visitantes uma panorâmica única sobre a cidade de Lisboa.





Acessível através de um elevador com entrada na Rua Augusta, junto ao arco, o miradouro que se encontra no topo do monumento oferece-nos uma vista deslumbrante sobre a Praça do Terreiro do Paço, a Sé, o Rio Tejo, o Castelo de São Jorge e a Baixa Pombalina. 




Construído na sequência do terramoto de  1755, o monumento teve vários projectos só vindo a ser terminado em 1875.




Este majestoso monumento é o símbolo da cidade triunfal renascida das cinzas de 1755.




O Texto inscrito no topo do arco remete-nos à grandiosidade Portuguesa aquando dos descobrimentos e à descoberta de novos povos e culturas.
"VIRTVTIBVS MAIORVM VT.SIT. OMNIBVS.DOCVMENTO.P.P.D"

"ÀS VIRTUDES DOS MAIORES, PARA QUE SIRVA A TODOS DE ENSINAMENTO. DEDICADO A EXPENSAS PÚBLICAS"



Quando atravessar o arco, não deixe de olhar para cima...

Olhando de baixo, no meio do passeio, percebe-se como o arco é esmagador, agora que está restaurado e deixa brilhar o esplendor do mármore.





Descendo a Rua Augusta, passamos o Arco e chegamos à mais bela Praça de Portugal...



A Praça do Comércio

Conhecida também por Terreiro do Paço, situada junto ao Rio Tejo, na zona que antes do terramoto de 1755 foi o Palácio dos Reis de Portugal durante dois séculos.
É uma das maiores praças da Europa com cerca de 36 000 m2.




No centro da praça, encontra-se a estátua equestre de D. José, erigida em 1775 por Joaquim Machado de Castro, o principal escultor Português do século XVIII.






Atravessamos novamente o Arco, ao som de uma bela melodia...







 relógio da Rua Augusta (exterior do arco)


Finalmente a visita ao Arco...

Um moderno elevador com capacidade para 10 pessoas, leva-nos até meio do percurso. Depois uma estreita escada de pedra conduz-nos à sala onde está o relógio da Rua Augusta, que já dá as horas.






O relógio data de 1941, altura em que ainda não tinha corda automática, pelo que necessitava de funcionários que, algumas vezes por semana, lhe dessem corda e o acertassem. 






Manuel Francisco Cousinha,  inventou um mecanismo de corda automática que tinha por base o mercúrio. Mesmo assim, por questões climáticas, como a humidade e, também, a falta de verbas para manutenção, o relógio foi-se degradando e, além de parar constantemente, atrasava-se ou adiantava-se.






O mecanismo voltou a medir o tempo, depois de um restauro de 
12 000 euros.













No plano inferior do arco, podemos ver algumas esculturas de Vitor Bastos que representam Nuno Álvares Pereira, Viriato, Vasco da Gama e o Marquês de Pombal.








Vista do Piso inferior do arco



Para chegar ao topo do arco, temos de subir mais de 40 degraus de uma escada em caracol bastante estreita. Por vezes a circulação torna-se quase impossível quando nos cruzamos com outras pessoas em sentido contrário!
Mas vale a pena...







O Arco da Rua Augusta é um lugar contemplativo...





Uma panorâmica de 360º sobre a cidade de Lisboa...

















O sino que dá as horas pode apanhar desprevenidos os que estão perdidos na contemplação desta nova vista de Lisboa... 





Aqui o tempo pára... As máquinas fotográficas dos turistas disparam em todas as direcções, ninguém fica indiferente à beleza de Lisboa, vista do cimo do Arco...





















Na  parte  superior do Arco é possível observar  as esculturas de Célestin Anatole Calmels representando a Glória, coroando o Génio e o Valor. 










É altura de voltar à Rua Augusta! A manhã quente convida a uma bebida fresca....   ouvimos o relógio lá no alto... Afinal já são horas de almoço, nem demos pelo tempo passar! 
Paramos para deixar passar o eléctrico... 







A Rua Augusta fervilha de gente, e animação!






























O comercio expõe  os seus produtos à porta, convidando o turista a comprar! 
É impossível não dar uma espreitadela... 






























Finalmente chega a hora de confortar o estômago!
A escolha foi  uma marisqueira da Rua Augusta! Divino!!!!!!

...Volto em breve! ;)











Nota:
O bilhete para subir ao arco, custa 2,5 euros, e só garante o acesso ao elevador que leva os visitantes até ao segundo piso.
Crianças com idades até aos cinco anos não pagam bilhete.

Horário: 9h00  às 19h00

Infelizmente deficientes em cadeiras de rodas não podem visitar o arco! :(

4 comentários:

  1. Belíssimas imagens! Muito obrigada pela partilha e fica a promessa de seguir (muito!) este blog...

    ResponderEliminar
  2. Gosto muito do seu blog, recebo as novidades via mail e depois perco-me sempre pelas lindas fotos e pelas mais diversas publicações...permita-me que a corrija, quando escreve nesta publicação do Arco da Rua Augusta e faz referência ao terramoto de Lisboa, em «1775», por lapso certamente, em vez de 1755.
    Continue esta sua obra maravilhosa, é um regalo para os olhos consultar estas publicações!
    Cumprimentos

    Carla Rei Viana (Vianinha http://saboresdorey.blogspot.pt )

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo reparo, de facto foi um lapso, que graças a si já corrigi!
      Grata pela sua simpatia e amabilidade!
      Espero poder contar sempre com a sua companhia neste meu cantinho!
      Bem haja!

      Eliminar