domingo, 31 de março de 2013

"Tartarugas marinhas. A viagem."



 "Tartarugas marinhas. A viagem."







"Tartarugas marinhas. A viagem." é a primeira exposição temporária no Edifício do Mar, do Oceanário de Lisboa.















"Tartarugas marinhas. A viagem.", patente ao publico  no Edifício do Mar do Oceanário de Lisboa, sensibiliza os visitantes para a preservação da espécie de tartarugas Caretta caretta, que se encontra em vias de extinção...







A exposição  retrata a longa e perigosa jornada das tartarugas marinhas através dos oceanos, numa envolvência única com paragem obrigatória em ecossistemas marinhos como os recifes de coral, as pradarias marinhas, o mar dos Sargaços e as águas oceânicas.






Os cinco exemplares  da espécie Caretta caretta,  podem ser observadas de diferentes e curiosas perspetivas através das passagens por cima do aquário e do nicho subaquático de observação.




tartaruga-comum (Caretta caretta)


Descrição: Apresenta uma carapaça coberta por placas bem diferenciadas com cinco pares de placas laterais na região dorsal. Cabeça com dois pares de placas pré-frontais. A região dorsal da carapaça é acastanhada, contudo a região ventral é amarelada. As barbatanas são curtas e grossas com duas unhas visíveis na margem anterior. Os juvenis apresentam quilhas muito alongadas.

Habitat e Ecologia: Passam a maior parte do tempo à superfície. Durante a fase juvenil oceânica podem mergulhar até aos 200 metros de profundidade e alimentam-se preferencialmente de medusas. Na fase adulta vivem em águas costeiras de pouca profundidade alimentando-se de crustáceos e moluscos junto ao fundo.

Observações: Réptil marinho que apresenta um complexo ciclo de vida, pode fazer migrações de milhares de quilómetros durante a fase juvenil. Espécie ameaçada da extinção devido a ameaças antropogénicas, nomeadamente a pesca e a poluição dos oceanos.


Tamanho: Podem atingir 130 cm de comprimento da carapaça. Na fase juvenil oceânica o comprimento máximo aproximado é de 70 cm.

Distribuição: Tem uma distribuição ampla ocorrendo em todos os mares quentes ou temperados. Os juvenis presentes nos Açores são na sua grande maioria oriundos de praias reprodutoras americanas. Estes animais circulam no sistema de correntes do Atlântico Norte até à maturidade, altura em regressam ao habitat nerítico da costa americana. (horta.uac.pt/species/Reptilia/tartarugas/Caretta_caretta.htm)




Corcovados e plombetas estão entre outros peixes que habitam o aquário de design inédito de 250 mil litros. São mais de 25 as espécies de peixes que podem ser observadas a acompanhar as cinco tartarugas marinhas na sua "viagem".










tartaruga-comum (Caretta caretta), também é chamada de tartaruga-amarelatartaruga-cabeçudatartaruga-meio-pente ou tartaruga-mestiça.

Nicho subaquático de observação







O comércio ilegal da carne e carapaças das tartarugas, continua a ser uma das maiores ameaças à espécie...


























Ficamos deslumbrados ao longo da  "viagem" destas simpáticas tartarugas ...




Após estarem completamente reabilitadas, estas tartarugas irão voltar ao seu habitat natural!


.... Todos nós somos responsáveis pela preservação das espécies! Um simples gesto ou mudança de hábitos podem contribuir para o equilíbrio dos ecossistemas e das espécies! 

Não custa nada!...Basta querer!

Sem comentários:

Enviar um comentário