domingo, 18 de outubro de 2015

Palácio da Bolsa


Palácio da Bolsa
Porto




O Porto prosperou com o comércio desde que os Romanos aqui construíram um forte, no local onde a sua rota comercial atravessava o Douro. Rapidamente os Portuenses expulsaram os Mouros no século XI e começaram a lucrar com o aprovisionamento dos cruzados a caminho da Terra Santa.
O Porto aproveitou a riqueza gerada pelas descobertas maritimas portuguesas nos séculos XV e XVI. Mais tarde o comércio do vinho com a Grã-Bretanha compensou a perda do lucrativo comercio de especiarias. 






Classificado como Monumento nacional, o Palácio da Bolsa (ou da Associação Comercial do Porto) situa-se na zona da Ribeira, junto ao Douro, em pleno centro histórico da cidade do Porto.
A fachada principal abre-se para a o espaço ajardinado da Praça Infante D. Henrique.
Após a destruição de parte do Convento de São Francisco por um incêndio, uma portaria de 1834 autorizou os negociantes  da cidade a construírem no local a sua praça comercial.
Reivindicando a edificação de um equipamento moderno, em 1839 a Associação comercial do Porto encarregou o arquitecto Joaquim da Costa Lima de riscar o plano do edifício,. dentro dos parâmetros de um gosto inglês utilitário que vinha a implantar-se. Iniciando-se em 1842, as obras duraram várias décadas.
No interior sublinhe-se a obra do arquitecto G.A. Gonçalves de Sousa, cuja intervenção culminou com a construção do Salão Árabe a partir de 1862.
Inaugurado em 1880, viu o seu espaço ocupado pela Câmara Municipal do Porto entre 1911 e 1918, voltando em 1918 à posse da Associação.





No interior do edifício o traço majestoso reforça-se no átrio do Pátio das nações, rematado por cúpula de estrutura de ferro e vidro, na imponente escadaria, nos alçados interiores ritmados por pilastras caneladas, nos arcos e vãos que se sucedem nos trabalhados estuques interiores. 

A cúpula de ferro e vidro, da autoria de Tomás Soller está ladeada em todo o seu redor por 20 brasões representando os países com os quais Portugal mantinha na altura relações de amizade e de comércio. 




O pavimento, revestido a mosaico cerâmico e inspirado nos modelos greco-romanos descobertos em Pompeia, serviu até meados da década de 90 do Século XX de palco para a Bolsa de Valores do Porto.







Sala do Presidente

Os trabalhos retratados nesta sala, realizados a óleo sobre tela, por Marques de Oliveira em 1890, têm como temática os trabalhos tradicionais da civilização romana. 



De realçar, para além do magnífico pavimento entalhado a madeiras exóticas de origem brasileira e africana, a lareira em mármore da autoria do escultor Teixeira Lopes, onde se destacam, nas suas colunas laterais, estatuetas femininas e no seu interior, em ferro forjado, alegorias ao Rio Douro e ao comércio.





Sala dos Retratos

Decorada segundo o estilo Luis XVI, esta sala homenageia os últimos seis reis da Dinastia de Bragança. O que mais sobressai neste espaço é sem dúvida o seu pavimento com um raro efeito visual de profundidade ilusória.


Com este tributo simbólico, a Associação Comercial do Porto agradeceu a D. Maria II a doação das ruínas do extinto Convento de S. Francisco.
A mesa exposta nesta sala, obra do entalhador português Zeferino José Pinto, levou três anos para ser completada e obteve uma menção honrosa na Exposição Universal de Paris de 1867.







O Salão Árabe

A construção desta obra do arquiteto Gustavo Adolfo Gonçalves de Sousa, que se terá inspirado no Palácio de Alhambra, é a sala de honra do palácio e foi concebido como cenário romântico, de forte evocação exótica. De forma oval, o piso superior é percorrido por galeria de varandas em ferro, que assentam em colunas rematadas em arcos de referência orientalizante. É notável o trabalho de estuque. Este salão foi iniciado a 15 de Setembro de 1862 e terminado a 12 de Junho de 1880. Tal como no restante edifício, também aqui o pavimento é constituído pelas melhores madeiras, tais como mogno, jacarandá, pau-cetim, pau-rosa e plátano.











O tecto apresenta um magnifico trabalho de estuque...











O Salão Árabe é a mais importante sala de actos oficiais da cidade do Porto, sendo também palco de muitas centenas de concertos e de outras prestigiadas solenidades, que muito honram o nome de Portugal e o projectam no mundo.


Dicas:



Morada e contactos


Rua Ferreira Borges, 4050-253 Porto
Tel: 223 399 000, Fax: 223 399 090



Horários



Horário para visitas:


Novembro a Março


9:00 - 12:30 / 14:00 - 17:30 Horas

Abril a Outubro 


9:00 - 18:30 Horas


A visita obrigatoriamente guiada tem uma duração aproximada de 45 minutos sendo o idioma marcado consoante ordem de chegada.

Idiomas: Português, Espanhol, Francês, Inglês

1 comentário:

  1. ESTIVE NO PORTO ,MAS INFELIZMENTE NAO VISITEI ESTE PALACIO DA BOLSA,FICAMOS POUCO TEMPO,PORTO E UMA CIDADE MUITO BUCOLICA E COM BELOS MONUMENTOS,AMIGOS,FERNANDO GONCALVES SIMAO-TOPLUS IDIOMAS-TOPLUS AMIZADES MUNDIAIS-RIO DE JANEIRO[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[[

    ResponderEliminar

Printfriendly