segunda-feira, 13 de março de 2017

Boca do inferno - Cascais




A Boca do Inferno situa-se a oeste da vila de Cascais.

O nome vem do facto de em dias de mar agitado as vagas baterem nas rochas de forma assustadora, pois aqui a terra luta com o mar permanentemente num duelo sem fim.






As ondas entram ruidosas numa espécie de grande caverna a céu aberto, que anteriormente se pensa ter sido uma gruta que o tecto abateu.

Um espectáculo grandioso da natureza que leva centenas de pessoas a visitar o local.









Mas conta a lenda....

Uma cova eriçada de penedos escuros onde as águas do mar fazem remoinhos, eis a Boca do Inferno. Todos julgam conhecer o lugar, mas quantos lhe conhecerão a lenda? A lenda diz que houve ali um castelo onde vivia um homem de mau aspecto que se dedicava às artes diabólicas. Era um feiticeiro.
Há quanto tempo foi?
Pois passaram-se já tantos e tantos anos que não sabemos. Vejamos o que se terá passado....

O feiticeiro, certo dia, decidiu casar-se.
E logo disse para com os seus botões que teria de ser com a mais bela jovem do termo de Cascais. Consultou a sua lâmina de cristal de rocha, e  logo lhe apareceu espelhado nela o mais belo rosto que jamais vira. Assim, logo ordenou que um grupo dos seus cavaleiros a fosse buscar.
E quando ela foi conduzida à sua presença, o feiticeiro ficou deslumbrado com tamanha beleza. Porém, tão feroz era o feiticeiro e os seus modos tão grosseiros que a jovem sentiu por ele imensa repulsa.
Furioso por não poder fazer-se amar pela bela jovem, mandou encerrá-la na torre mais negra do seu castelo. E, como guarda, escolheu um cavaleiro que nunca a tivesse visto. E, assim, a bela jovem e o cavaleiro ficaram ambos prisioneiros.
A jovem no alto da torre sentia-se tão só quanto o seu guardião. Tinham por única companhia o mar e as suas marés.

Os meses foram passando, o cavaleiro já não suportava tanta  curiosidade e solidão. Um dia resolveu subir a torre e ir espreitar a rapariga que guardava. Assim que abriu a porta e viu tamanha beleza, ficou apaixonado. A bela donzela também se apaixonou pelo jovem cavaleiro. 

A partir daquele dia partilharam os momentos de solidão, nascendo, assim, um grande amor entre os dois. Decidiram fugir juntos, esquecendo-se que, através da sua magia, o feiticeiro sabia de tudo. Montaram no cavalo branco do cavaleiro e cavalgaram pelos rochedos junto ao mar.

Enquanto isso, no castelo, cheio de raiva e ciúme, o feiticeiro criou uma tempestade assustadora que fez com que os rochedos, por onde os dois amantes caminhavam, se abrissem como se fossem uma grande boca infernal. Cavalo e cavaleiros foram engolidos pelas águas, tendo desaparecido para sempre.

O buraco nunca mais se fechou e o povo começou a chamar-lhe Boca do Inferno.








Devido ao estado do mar, a ponte de pedra que dá acesso a um dos miradouros mais próximos do mar estava encerrada no dia da nossa visita.









Um local muito agradável para um passeio descontraído  pela marginal sempre a contemplar o oceano.
Em dias de bom tempo pode-se desfrutar de um magnifico por do sol.
Neste dia apesar da chuva e do mar revolto, ainda conseguimos ver uns tons alaranjados no horizonte, como se os raios de sol aparecessem de repente para nos agradecer a visita...








Notas:

- Endereço: R. Mayer Garção, 2750-642 Cascais

- Estacionamento gratuito no local.

- Indicado para caminhadas 

- Ciclovia no local

- Entrada gratuita

- Aberto 24 horas

- Restaurantes e bares nas proximidades 

- Animais de estimação admitidos no local

- Em dias de mar revolto, a pequena ponte de pedra que dá acesso a um dos 
  miradouros mais próximos do mar é encerrada.

Sem comentários:

Enviar um comentário